Dormir "junto" pode ser Problemático para a Saúde
29/11/2012
COMPARTILHE
TAGS
  • sono
  • casal
  • dormir
  • dividir cama

Qual é o casal que não gosta de dormir juntinho? Mesmo depois de anos de casados, muitos ainda desfrutam da companhia do outro, enlaçados durante grande parte da noite. O hábito de dormir junto com certeza tem os seus benefícios.

Por outro lado, a obrigação de dividir uma cama, hoje, vem se tornando menos rígida e alguns casais preferem dormir em camas individuais ou, até mesmo, em quartos separados. A explicação pode vir de estudos recentes que indicam que o sono é melhor quando há espaço suficiente para que o indivíduo possa relaxar.

Segundo médicos, a qualidade do sono pode cair em até 20% ao dividirmos uma cama. Isso acontece porque, quando dormimos, nosso organismo entra em diversos ciclos do chamado sono REM, um estado inconsciente de descanso profundo. Nesses momentos é que temos nossos sonhos e descansamos de fato.

Durante uma noite, porém, é natural que um adulto tenha entre 20 e 30 microdespertares, momentos contrários ao REM, em que a pessoa volta a um estágio superficial do sono. Uma simples mudança de posição ou o ranger dos dentes é o suficiente para voltarmos nesse estágio de "semiconsciência". Ao dormirmos com outra pessoa na mesma cama o número de microdespertares pode dobrar e, quanto mais isso acontece (e com maior frequência), mais cansada a pessoa acorda no dia seguinte.

O problema ocorre, pois geralmente cada parte do casal possui um horário para acordar e dormir distinto do outro. Isso é ainda agravado quando há aparelhos eletrônicos (TV, vídeo-game, rádio etc.) no dormitório ou por conta de movimentos do parceiro durante o sono e ronco ou apneia. Um estudo realizado pela Universidade de Surrey, na Inglaterra, observou 40 casais durante o seu sono. Durante os dez primeiros dias eles dormiram juntos; nos dez seguintes, em quartos separados.

O resultado do monitoramento mostrou que durante as noites solitárias o sono dos participantes foi 50% melhor. Mas dormir com o seu parceiro não é de todo mal. Ficar junto da pessoa amada na hora do sono traz segurança e aconchego, o que é bom para o sistema emocional. Abusar da posição "conchinha", preferida dos casais, no entanto, pode trazer outros problemas para a coluna. Confira abaixo dicas para ter uma boa noite de sono sem abrir mão da companhia:

  • Hora para dormir: combine com seu parceiro uma hora para o quarto permanecer sem luzes; leituras e televisão somente fora do quarto;
  • Colchão especial: troque o convencional por dois colchões de solteiro ou um de casal com divisão interna, para reduzir os impactos dos movimentos do outro;
  • Despertador moderado: estabeleça um limite para os despertadores, não mais do que duas vezes antes de se levantar;
  • Lençóis individuais: ao invés de ter lençóis de casal, utilize dois de solteiro para acabar com o "cabo-de-guerra" durante a noite;
  • Use máscara: a máscara para dormir pode amenizar o incômodo de quem acorda mais tarde e é sensível à luminosidade que o outro precisa para se arrumar de manhã;
  • Cama grande: quanto maior a cama, mais liberdade de movimentos.